quarta-feira, 29 de agosto de 2012

RESENHA/ FILME: Cutback - Uma vida... Uma escolha.

 DVD Cutback - Uma vida, uma escolha - Filme 
Título: Cutback - Uma vida... Uma escolha.
Diretores: Lance Bachelder, Johnny Remo

Distribuidora: BV Filmes
Tipo: Longa
Ano: 2011
Nota no IMDb: 4.2

Sinopse: No último ano da escola, Luke Harris (Justin Schwan) tem apenas um sonho... o surfe profissional. Com seu melhor amigo Casey (Angel Cruz), que sempre o acompanha, eles têm dois objetivos: surfar e ir a festas! Mas a mãe de Luke (Raquel Garnder) e especialmente seu pai (Greg Carlson) têm outros planos para ele: ingressar em uma faculdade e crescer! Quando Luke fica sabendo que foi aberta uma vaga na equipe local de surfe, ele vê sua grande chance de provar aos seus pais que pode crescer como surfista sem ter que entrar em uma faculdade.



Há apenas duas barreiras no caminho de Luke: o novo surfista que veio de uma outra cidade (Andy Shephard) e que também ambiciona ocupar a vaga na equipe, e seu pai, que insiste para que Luke desista dos sonhos e estude. Quando uma tragédia terrível acontece, Luke é forçado a encarar a vida seriamente e, com a ajuda de sua futura linda "namoradinha da igreja", Emily (Kelsey Sanders) e do pastor da juventude (Danny Smith), ele vê que há muito mais a se fazer do que ficar pegando onda.
______________________________

Luke é um cara que não quer nada com os estudos e vê em casa um ambiente de desolação, já que seus pais não estão tendo um relacionamento amável. O escape de Luke é entregar pizzas, pegar ondas e juntamente com o seu melhor amigo, Casey (que nem ao menos entra na água), participar de concursos de surf e ir às festas.

Luke é surpreendido quando o time de surf local abre uma vaga e então põe na mente que a vaga é dele e fará de tudo para alcançar esse objetivo, inclusive não ir à faculdade, que é o plano que seu pai (policial) já traçou para ele desde a infância. Essa decisão de Luke causa um forte atrito entre ele e seu pai, aumentando assim a revolta de Luke em relação à sua vida familiar.

É nesse momento que Luke conhece Emily, uma garota que frequenta a igreja local, linda e parece estar interessada nele, mas as ações de Luke (ficar bêbado) parece afastá-la um pouco. Mas isso muda aos poucos até ela convidá-lapara ir a igreja com a ajuda da mãe de Luke que também é cristã e luta para levar a família a ser fiel a Deus.O jovem surfista vê desafios a sua frente quando um amigo do colégio onde estuda se diz seu adversário na conquista pela vaga na equipe de surf e o pai não abre mão de ele fazer faculdade.

É nesse momento que o filme pega no trampo. Luke é aconselhado por um amigo a fazer um "plano" para a sua vida, pois tudo depende de um plano, segundo ele. Luke então passa a ver que sua vida é meio que sentido e passa a enxergar as possibilidades na vida, seu futuro e rever seus pensamentos em relação à sua família. Tem mais algumas coisas interesantes, mas não irei revelar mais nada aqui senão ficará chato, não é?

Gostei do personagem Casey, amigo de Luke, o cara é engraçado e é aquele tipo de pessoa que estará do seu lado não importa o que aconteça. Ele também é peça chave nessa narrativa, quem assistir saberá por quê. O pastor também é legal e fala algumas coias bem verdadeiras, sem falar que o cara é bonitão.

O filme é legal, mas não é uma grande maravilha. Em alguns momento achei-o bem enfadonho. Creio que para jovens, que é o público alvo do filme, tinha que tem algo mais dinâmico, mais do que apenas cenas de pessoas surfando. Mas assitam o filme e tirem suas conclusões.



4 comentários:

Salma Siméia disse...

Gostei da resenha, vou procurar na net pra baixar e organizar um evangelismo com os jovens lá da igreja...
Filmes evangélicos bons e de jovens é tão dificil de achar!
ABRAÇOS!

Waldenir disse...

Já assisti este filme, gostei da resenha, concordo com você, o filme não é essas coisas toda, achei que tinha mais aventura no filme por ser um filme para jovens.
Um filme bom para jovens que estará sendo lançado ano que vem pela Graça Filmes é "The Frontier Boys", uma excelente produção. Vale a pena ver. Abs.

Naasom A. Sousa disse...

Waldenir, realmente é fraquinho o filme, você tem razão e na resenha não quis usar esse termo. Não conheço esse novo filme. Vou conferir. Abraço e obrigado por sua participação.

lucas albernaz disse...

Salvo Meu Trabalho De Redação D+