quarta-feira, 30 de maio de 2012

RESENHA/ LIVRO: Deixados para Trás – Vol. 6 - Assassinos


Título: Deixados para Trás – Vol. 6 - Assassinos
Subtítulo: Missão: Jerusalém, Alvo: Anticristo
Autores: Tim LaHaye, Jerry B. Jenkins
Editora: United Press
Páginas: 416

SINOPSE: No sexto volume da série, um exército de cavaleiros sobrenaturais extermina um terço da população. O Comando Tribulação torna-se, definitivamente, um grupo clandestino de fugitivos. 

------------------------------------------


Esse volume começa de onde terminou o anterior. Depois da aparição dos gafanhotos com corpo de cavalo e que gritavam o nome Apollion o mundo está a cada dia mais imerso em angústia e sofrimento. A morte está espalhada pelas ruas, casas, mares. Entretanto a Comunidade Global continua a tentar amenizar tudo informando que isso são apenas fenômenos da natureza.
Talvez já esteja ficando chato eu ficar repetindo "Como sempre, uma surpresa atrás da outra”, mas creio que isso é inevitável. A ação continua bombando, a tensão, o drama, a morte rondando os protagonistas, tudo ao mesmo tempo num mar de desolação.
O que antes eram gafanhotos agora deu lugar a centenas de carros e cavaleiros de fogo que exterminarão a terça parte do mundo. Aqueles que não se renderam a Cristo estão sujeitos a serem varridos da terra com fogo, literalmente.
As tragédias que se sucedem vão criando em Rayford um crescente rancor e em seu coração um plano de matar Nicolae começa a ser arquitetado. Mas não apenas ele está com esse pensamento. Hatie, que aparentemente está sob o domínio da Comunidade Global está igualmente tramando uma vingança contra o Potentado – a quem já foi atribuído um milagre e está aponto de se tornar venerado.
Em meio as perseguições, mais um membro do Comando Tribulação perde a vida, o que faz crescer ainda mais o ódio dentro de Rayford.
Ao final, vemos que não são poucos os que querem ver Nicolae morto. Durante uma grande cerimônia em que o tratado de paz com Israel faz aniversário, as Duas Testemunhas são executadas e o Potentado é atingido mortalmente com uma “espada”(o Sabre!). A pergunta que se segue é: dentre tantos assassinos, quem acabou sendo o executor do Anticristo?
Ótimo livro. Mal posso esperar para ler o próximo.

2 comentários:

Marcelo Luciano da Costa Santos disse...

Conheci seu blog hoje, mas infelizmente, hoje mesmo vou, com perdão do trocadilho, "deixa-lo para trás". Pelo pouco que vi, sua linha teologica é daqueles que acreditam que fatos narrados em livros/filmes como esse sao condizentes com o que dizem as escrituras.
Questões como Graça, expiação, predestinação, etc passam longe de suas crenças.
Sendo assim, desejo tudo de bom, mas nao dá para caminharmos juntos, pois cremos em coisas diferentes.

Naasom A. Sousa disse...

Marcelo Luciano, agradecemos sua participação. Mas não sei de onde você tirou os pensamentos que escreveu em seu comentário. Sinceramente. Em nenhum momento disse que concordo 100% com o livro até porque se trata de uma ficção e não pode ser levada ao pé da letra. Nunca rejeitei a graça e a espiação poe intermédio de Cristo Jesus. Quando à predestinação, falo que esse é um ponto polêmico, mas tenho uma posição. Creio, por meio das Escrituras que Deus nos predestinou para a salvação, mas cada um segue o caminho que desejar e isso pode resultar em sua própria perdição; assim como um pai que já determinou em seu coração como o filho irá crescer, estudar, casar, ter filhos e netos etc, mas ele não pode tomar decisões por esse filho, por ele ter livre arbítrio. Assim penso também sobre esse assunto. Ninguém está predestinado ao céu ou inferno antes de nascer, mas sim Deus quer que todos sejam salvos, não é?
Um forte abraço, amado e que o Senhor Jesus te abençoe grandemente.