quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

RESENHA: Além do Planeta Silencioso [Trilogia Cósmica 1] - C.S. Lewis

COMPRAR NA LIVRARIA CULTURA

 
 

SINOPSE:

Este é o primeiro livro da Trilogia Espacial. O protagonista destes livros é Ransom, um professor de Filologia, que pode ser considerado uma homenagem ao amigo de Lewis, J R R Tolkien (também filólogo).

 

Neste primeiro livro, Ransom é raptado por dois cientistas e levado cativo para Malacandra (Marte, na nomenclatura dos seus habitantes), a fim de supostamente ser oferecido como sacrifício humano ao Oyarsa, o governante daquele mundo. Na verdade, o Oyarsa é um servo de Maleldil, o único Criador. Além de uma fantástica narrativa de ficção científica, Além do Planeta Silencioso é repleto de conteúdos filosóficos e teológicos, os quais são apresentados por Lewis no decorrer da história.

 

-----------

 

Depois de ler toda a saga Crepúsculo, senti-me desafiado a ler algo mais denso e que me levasse a pensar um pouco. Escolhi então “Além do Planeta Silencioso”, por entender que Lewis sempre quer dizer mais do que está explícito no texto e nos leva e refletir sobre o mundo espiritual. De fato foi isso que encontrei nesse livro.

 

Nos primeiros capítulos não achei nada demais, mas não demorou muito para que eu encontrasse no texto aquilo que procurava. Através das personagens, Lewis revela as coisas espirituais muito mais até do que em Nárnia (talvez não, mas de uma forma mais profunda).

 

Vemos o personagem principal diante de um planeta inexplorado e de seres nunca antes vistos pela raça humana (a não ser por dois cientistas ambiciosos). Esses seres parecem ser irracionais, mas logo se percebe que têm inteligência como o homem. Sua cultura é diferente e sua visão da vida se difere totalmente da tida pelos terráqueos. Naquele lugar há o respeito, o compartilhar, o companheirismo, a necessidade de viver com o próximo e, principalmente, “existir com o propósito de viver a vida até o fim de seus dias”, pois ali se vive até morrer de velhice, pois ninguém mata ao outro por vingança, cobiça ou outros sentimentos do “homem”.

 

Podemos entender que isso ocorre por causa de Oyarsa, uma autoridade (ou rei) que governa aquele lugar com a sabedoria dada por Maleldil, aquele que criou todos os “hnaus” (seres pensantes). Ao contrário do que acontece em Malacandra, vemos que em Thulcandra (Terra) não ocorre isso, pois o Oyarsa desse planeta (que se rebelou contra Maleldil), é mau e corrompeu o homem terráqueo.

 

Essas são só algumas partes do livro que podemos notar claramente a intertextualidade bíblica. Não cabe a mim dizer outras coincidências com o cristianismo, pois creio que cada um pode ver – para mais ou para menos – as referências do livro sagrado implícitas em toda a extensão do livro.

 

Não posso e nem vou revelar o que acontece com Ransom e os cientistas mau intencionados; apenas recomendo aos apreciadores da boa leitura que descubram por si só.

2 comentários:

Marciel Ignacio disse...

Tenho os Ebooks dassa trilogia aqui no PC, mas ainda não consegui tirar um tempo para lê-los. Só por ter sido escrita por C.S. Lewis, já me deixa bastante curiso.

Fernando Pasquini disse...

Esse é o melhor livro de ficção que já li na minha vida. Tudo é bom - o enredo, os cenários (espetaculares!), a ciência, a teologia.
Em um blog de ficção cristã, não poderia faltar uma resenha desse livro mesmo!